IFC viewer in Bimsync

O nascimento do formato IFC

Em 1996, 11 parceiros criaram a IAI (Aliança Internacional de Interoperabilidade) que se tornou a buildingSMART International – bSI em 2008.

O objetivo era melhorar a interoperabilidade durante todo o ciclo de vida de uma construção com os seguintes requisitos:

  • Ser neutro e aberto
  • Atender a todas as necessidades de colaboração das partes interessadas no setor de construção
  • Fornecer padrões abertos

A primeira norma desenvolvida pela BSI se tornou agora uma norma ISO: ISO 16739-1:2018 Industry Foundation Classes (IFC) para compartilhamento de dados nas indústrias de construção e gerenciamento de instalações – Parte 1: Formato de dados.

No início, dedicado a edifícios, o IFC está em constante aperfeiçoamento e agora se dirige a todo o setor de construção com a adição de pontes e em breve ferrovias, estradas, túneis…

O padrão IFC é a base do triângulo do ecossistema BIM do BSI (Data, Process, and Terms).

Triângulo do ecossistema BIM do BSI (dados, processos, e termos)

A definição de IFC

Formalmente, o IFC é tanto um esquema conceitual de dados quanto uma estrutura de formato de arquivo que possibilita transferência.

O formalismo do esquema de dados conceituais é derivado do STEP (Standard for the Exchange of Product Data Model – ISO 10303) e é especificado na linguagem de especificação de dados EXPRESS. Também é fornecido um esquema XML gerado a partir do esquema EXPRESS.

Um arquivo IFC pode ser transferido como .ifc, .ifcxml, .ifczip (arquivo comprimido).

O modelo de objeto é composto de objetos – entidades nomeadas (elementos de construção e elementos de recipientes) e relações descrevendo as interações entre os objetos (por exemplo, a relação IfcRelConnectsElements pode ser usada para expressar a conexão entre 2 paredes). A versão atual do IFC (IFC 4.2) é composta por 816 entidades.

Naturalmente, o IFC não está descrevendo apenas geometria, mas muito mais do que isso. Aqui estamos falando de semântica, em um processo BIM, não estamos apenas trocando geometria, mas também dados. Neste momento, as informações anexadas a um objeto são descritas em Conjuntos de Propriedades. Um Conjunto de Propriedades é o local onde as propriedades definidas podem ser anexadas a qualquer entidade dentro do modelo IFC. A versão atual do IFC contém 415 Conjuntos de Propriedades. Como todas as propriedades que definem conceitos da indústria da construção no mundo inteiro não podem ser definidas no padrão IFC, um dicionário de dados como o bSDD é cada vez mais utilizado para estabelecer uma única fonte de verdade. Isto será explorado com mais detalhes em outro artigo dedicado à semântica.

 

O que contém um arquivo IFC?

Ao receber um arquivo IFC, a maneira comum de verificar o conteúdo do arquivo BIM é usar um visualizador IFC. Um visualizador IFC só pode ler arquivos IFC, que são baseados em open BIM, enquanto alguns visualizadores BIM são capazes de ler outros formatos BIM proprietários como Revit, Archicad, Tekla…

O visualizador permitirá ver a geometria, mas também todas as informações anexadas a cada objeto que compõe o modelo. Assim, é fácil de verificar:

  • A geometria, formas, conexões
  • os valores das propriedades dedicadas aos cálculos térmicos
  • os valores das propriedades dedicadas aos cálculos estruturais
  • todas as quantidades necessárias para a estimativa de custos
  • todas as propriedades dedicadas aos cálculos de impacto ambiental

Por que usar o IFC em um projeto de construção?


Utilizando um formato aberto e padronizado, todos os interessados envolvidos em um projeto de construção são capazes de descrever e estruturar as informações de uma forma comum.

Em um processo de construção, todos os atores vão utilizar e enriquecer as informações relativas ao projeto em suas próprias ferramentas específicas. Sem uma forma padronizada de compartilhar as informações (ou seja, usando formatos proprietários), os dados foram inseridos manualmente em todas essas ferramentas, e muitas vezes; assim, não há como compartilhar essas informações durante todo o ciclo de vida de um bem construído.

Atualmente, o uso de um Ambiente Comum de Dados (CDE) em um projeto de construção se tornou generalizado. O uso de uma plataforma compatível com IFC permite que todos os atores compartilhem informações de uma forma comum, aberta e padronizada; qualquer que seja o software usado para criar, ler, enriquecer o conteúdo, se for compatível com IFC não há nada mais do que carregar arquivos IFC para acessar e usar as informações.

Outro grande interesse em usar o formato IFC é que os usuários não dependem da versão do software com novos formatos de arquivo para quase todas as versões. Ao abrir um arquivo 10 anos depois, um software compatível com o padrão IFC ainda será capaz de entender as informações.

Finalmente e talvez ainda mais importante, o IFC está em constante evolução para atender às necessidades do mercado e todas as melhorias são feitas sob o controle de profissionais da construção.

Como a transparência é um dos valores da Catenda, optamos por usar o IFC como o formato suportado pela Bimsync.

Padrão openBIM da Buildingsmart

O mercado está pronto para BIM e IFC abertos?

A maioria dos softwares comuns usados no setor de construção já estão em conformidade com o IFC.

A buildingSMART International fornece um processo de certificação para fornecedores de software, a lista de software certificado pode ser acessada em https://www.buildingsmart.org/compliance/software-certification/certified-software/

buildingSMART também fornece um programa de certificação profissional para permitir que organizações possam educar e certificar indivíduos de acordo com uma estrutura de aprendizagem global reconhecida. Com este Programa, buildingSMART fornece uma referência global para avaliação de competência BIM aberta. Mais para aprender em https://education.buildingsmart.org/.

Por Frédéric Grand, Catenda

 

Related Post